#Euros2016: GBR, Itália, Romênia e Rússia [Jr]

Na segunda postagem sobre as seleções juniores que participarão do Campeonato Europeu em Berna, a partir do dia primeiro de junho, tratarei sobre as quatro principais potências da Europa, atualmente, na categoria Junior: Grã-Bretanha, que nos últimos anos tem se mostrado uma forte adversária às principais dominadoras do continente, Itália, que geralmente conquista grande resultados nessa competição, Romênia, que, mesmo com todos os problemas enfrentados com a seleção adulta, ainda se mantém no top 3 da Europa, e a Rússia, que atualmente é a maior escola de ginástica do continente.

Grã-Bretanha

Apesar de nunca ter figurado entre maiores potências do continente, a Grã-Bretanha nos últimos anos, principalmente após os Jogos Olímpicos de Londres (2012), tem se mostrado uma escola promissora e tem obtido notáveis conquistas a nível internacional. O primeiro grande resultado coletivamente veio em 2010 com a Seleção adulta que, durante o Europeu Birmingham, conquistou a medalha de prata na competição. Depois, nos Jogos Olímpicos de Londres, conquistaram um inédito quinto lugar no TF, e assim foi indo, galgando lentamente, até chegar ao pódio no Campeonato Mundial de Glasgow ano passado. 

As representantes do país serão Taeja James, Alice Kinsella, Maise Methuen, Lucy Stanhope e Megan Parker. As três primeiras, que foram os destaques do campeonato nacional britânico mês passado, competirão em todos os aparelhos. O destaque dessa seleção é a Alice Kinsella, que não competiu também no nacional, mas que, na minha opinião, é mais bem preparada no momento. 

Itália

Seleção da campeã mundial do individual geral Vanessa Ferrari, a Itália sempre esteve disputando as primeiras colocações com a Rússia e a Romênia no Campeonato Europeu Jr. Apesar de nunca terem conquistado o título, é a seleção, excluindo a Rússia e a Romênia, que mais conquistou medalhas por equipes nesse século nessa categoria. Sob o comando de Enrico Casella, Francesca Linari, Maria Cocciolo, Martina Basile, Martina Maggio e Sara Bernardielli tentarão conquistar mais uma medalha para o país. 

As meninas tiveram a oportunidade de competir esse fim de semana em um amistoso contra as britânicas e alemãs. Apesar de serem ginastas explosivas, com séries bem elaboradas, elas ainda carecem de experiência internacional para treinar o nervosismo. Acertando tudo na final, talvez consigam o bronze - isso se as ginastas de ouros países acertarem tudo. 

Martina Maggio foi o nome italiano na competição. É uma ginasta flexível, com séries complexas e elementos difíceis.

Romênia

Minha seleção preferida dentre todas as que competirão nesse Europeu. Não é a melhor, e tá longe de ser se continuarem com aquelas assimétricas de 10/11, mas elas são a esperança do país - e dos fãs da ginástica romena - para o próximo ciclo. Elas estão sendo conduzidas pelo Nicolae Forminte, que treinou ginastas como Sandra Izbasa e Steliana Nistor - a melhor atleta da Romênia nas barras assimétricas da última década. 

Alisia Botnaru, Ioana Crisan, Olivia Cimpian, Denisa Golgota e Carmen Chicic defenderão a tradição romena na próxima semana. Todas essas ginastas, especialmente a Crisan, tem capacidade de se tornarem boas AAer - até porque ser especialista em um ou dois aparelhos não é mais uma opção para as ginastas que pretendem disputar os Jogos Olímpicos de 2020.

Crisan é a principal ginasta do país para a competição. 

Rússia

Esta, sem dúvida, é a melhor seleção nessa categoria na competição. Essas meninas que representarão a Rússia poderiam, facilmente, competir com muitas seleções adultas de muitos países. Anastasia Illyankova, Ulyana Perebinosova, Elena Eremina, Angelina Simankova e Varvara Zubova são as representantes do país. As três primeiras foram as maiores medalhistas do Campeonato Nacional Jr. esse ano. Illyankova e Perebinosova somaram durante a primeira etapa de qualificação dessa competição mais de 57 pontos no Individual Geral, o que as deixariam, respectivamente, em quinto e sexto lugares no último campeonato mundial (é verdade que as notas em competições nacionais são um "infladas" mas mesmo assim continua sendo um somatório alto).

Apenas uma tragédia muito grande tira o ouro dessas meninas na disputa por equipes. No individual geral, acredito que o ouro pode ser conquistado pelas três primeiras na lista, dependendo de como cada uma competirá, mas a ginasta com mais condições é Anastasia.

Infelizmente, não encontrei nenhum vídeo dela no Youtube, então decidi compartilhar a série de trave da Eremina no nacional desse ano.
https://www.youtube.com/watch?v=4kt7G4ivM0c

Sem comentários