O que será da ginástica australiana?

Lauren Mitchell nos Jogos Olímpicos de 2012 (Foto: Adam Head)
No último dia 11, uma notícia bastante triste emergiu da Oceania. O Western Australian Institute of Sport (WAIS), a última instituição do país a oferecer um programa completo de ginástica artística feminina, anunciou que dará fim ao seus trabalho no fim desse ano. O justificativa, segundo o diretor executivo da WA, Steve Lawrence, "é maximar o desempenho dos atletas da instituição com os recursos disponíveis [mesmo que isso signifique fechar um programa inteiro]. 

A presidente da Confederação Australiana de Ginástica, Jacqui Briggs-Weatherill, manifestou-se dizendo que essa é uma atitude "cruel e míope e, caso não seja revertida, acabará com os sonhos de jovens atletas. [...] Foi uma medida sem aviso e sem consulta", acrescentou.

Localizado em Perth, o WAIS foi, por quase 30 anos, o principal centro de formação de ginastas do país. Ele foi o responsável por produzir as principais ginastas que estiveram nos últimos Jogos Olímpicos, tais quais Allana Slater e Lauren Mitchell, primeira e, até então, única campeã mundial do país na modalidade.

A não classificação de uma equipe completa para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, e a escolha de Larrissa Miller para representar o país na competição, parecem ter sido os principais motivos para a tomada da decisão. Infelizmente, é um grande retrocesso para o país, que nos últimos quinze anos conquistou muitos resultados expressivos. 

Sonja, uma radialista local, observou que "não vê o país formando uma equipe olímpica tão cedo, após essa decisão e não entende como pode colocar sua filha em um esporte que não tem futuro".

Fonte: 

Sem comentários